Ir para o conteúdo principal

A luz ao fundo do túnel para hotéis no rescaldo do coronavírus (COVID-19): explorando o mercado do turismo doméstico

  Publicado em Marketing digital

Recuperação do turismo doméstico no pós-coronavírus

Embora, com toda a certeza, as grandes viagens sejam uma das últimas facetas da sociedade a regressar à normalidade na recuperação da pandemia do coronavírus de 2020, o turismo doméstico será, pelo contrário, uma das primeiras faces visíveis. Com o progressivo relaxamento das restrições de confinamento e distanciamento social por todo o mundo, o turismo doméstico deverá desempenhar um papel fundamental na recuperação das economias e atuar como um indicador da saúde e segurança das nações.

Porém, esta vaga ocorrerá a várias velocidades por todo o mundo, pelo que o turismo doméstico terá uma recuperação errática. Pode ser que alguns países consigam recuperar rapidamente, enquanto outros se irão debater com dificuldades durante mais tempo.

O mais provável é que as atitudes, motivações e preferências dos turistas se vejam alteradas num futuro próximo, se não mesmo para sempre.

Para os hoteleiros que estão sair das restrições, o plano é simples: captar o maior negócio doméstico possível, recorrendo a tudo o que puderem. Alguns países como a Austrália e a Nova Zelândia, que tiveram uma história de sucesso no combate ao vírus, poderão recuperar significativamente, fazendo-se valer do intenso desejo de viagens das pessoas saídas do confinamento. Na realidade, países vizinhos estão a estudar acordos de viagem, para permitir que os turistas se desloquem livremente.

Este blogue irá ajudá-lo a compreender as viagens domésticas e as estratégias a que pode recorrer para aumentar o negócio doméstico num mundo pós-coronavírus.

O que são as viagens domésticas?

As viagens domésticas caracterizam-se como sendo uma viagem em que a partida e a chegada ocorrem no mesmo país. Isto pode incluir qualquer categoria de viagem, desde lazer a negócios ou mesmo por motivos médicos.

As viagens domésticas também podem ser realizadas por qualquer meio de transporte, desde que a viagem comece e termine no mesmo país.

Obviamente, os hoteleiros estarão interessadas em viagens que impliquem uma dormida, mas as viagens domésticas não têm necessariamente de o incluir.

Definição de turismo doméstico

O turismo doméstico é o mesmo que as viagens domésticas, a única diferença é que apenas contabiliza aqueles que estão a viajar por lazer. Por exemplo, excursionistas, visitantes, famílias, casais, etc.

Este será um mercado importante para os hoteleiros, à medida que recuperam das consequências da COVID-19. Os países que têm tradicionalmente grandes volumes de turismo doméstico, como a França e a Alemanha, terão de apostar neste nicho, mais do que nunca, para se reerguerem.

O que são viagens locais ou regionais?

As viagens locais/regionais podem ser interpretadas de duas maneiras diferentes.

Uma é pensar nas pessoas que vão explorar o seu “quintal”, visitando lugares perto das cidades onde vivem e estabelecendo uma ligação com a sua cultura local. Esta forma de viagem é semelhante a um “vá para fora cá dentro”.

Outra forma de o definir é através de viajantes que estabelecem uma ligação autêntica com a cultura local do destino que estão a visitar. Isto aplica-se a hóspedes que querem “viver como um habitante local” durante as suas férias.

O que são viagens interestaduais?

Designa-se por viagem interestadual toda a viagem em que o viajante inicia o seu percurso num estado e chega ao seu destino noutro estado, atravessando fronteiras entre estados. Tal como em qualquer viagem doméstica, o motivo da sua viagem é irrelevante. O tipo de viagem do viajante interestadual irá ditar o tempo de permanência no seu hotel.

É provável que as famílias permaneçam por uma semana ou mais, enquanto um viajante de negócios é menos previsível. Estes podem entrar e sair no mesmo dia ou passar um longo período de tempo, dependendo da sua intenção.

Viagens domésticas para hotéis: qual a sua importância na era da COVID-19?

As viagens domésticas são a tábua de salvação para o setor num futuro próximo. Independentemente do sucesso da luta contra a COVID-19, as viagens internacionais provavelmente ficarão suspensas por algum tempo. Para a sobrevivência dos hotéis, as reservas e as receitas terão de ser provenientes do mercado doméstico.

Há várias perguntas cujas respostas se vão revelando:

  • Qual será a motivação das pessoas para viajar, mesmo quando deixar de haver restrições?
  • Qual será a capacidade financeira das pessoas para viajar após essas dificuldades?
  • Quais serão as novas expectativas e preferências dos viajantes?
  • Que tipos de viagens e viajantes os hotéis devem atrair?
  • Qual a abordagem que os hotéis devem adotar em relação ao marketing de viagens domésticas?

A chave é estar informado e usar as ferramentas certas para estar preparado para atuar da maneira certa, na hora certa.

Como referimos, a situação irá variar de país para país Os governos estão a distribuir várias formas de ajuda, o tipo de restrições é variável e os sentimentos dos viajantes são altamente influenciáveis pelo estado de saúde do respetivo país. Contudo, há um ponto comum a todos. Independentemente da fase de recuperação de um determinado mercado, os hoteleiros precisam de estar preparados e todos podem preparar-se de forma semelhante.

É fundamental que os hotéis:

  • Tenham controlo sobre as suas despesas e finanças
  • Obtenham informação sobre as tendências e previsões do mercado local
  • Avaliem as suas vendas passadas e estratégias de marketing
  • Procurem informação sobre os viajantes domésticos
  • Formulem novas estratégias adequadas à conjuntura atual.

Os hotéis terão de ser criativos e flexíveis com as ofertas. O seu sucesso poderá depender da forma como criam um pacote de experiências dirigido a hóspedes que estiveram em quarentena e sob grande tensão no período anterior à sua viagem.

Com os voos a sofrerem oscilações de preços e a suscitarem questões de segurança, é provável que no futuro se assista ao aparecimento de meios de deslocação alternativos e, por conseguinte, tipos de viagens alternativos, tais como viagens rodoviárias.

Como atrair viajantes domésticos para o seu hotel: considerações sobre viagens em tempos de pandemia

Planeamento, habilidade e sorte irão desempenhar um papel importante na captação de hóspedes quando estes se aventurarem novamente a viajar após a COVID-19.

Incluímos o fator sorte porque a localização e a experiência terão um enorme peso para alguns viajantes.

Muitos poderão estar à procura de pacotes de bem-estar e renovação espiritual depois de um período tão inquietante e incomparável nas suas vidas. A maioria dos estabelecimentos que pode proporcionar este tipo de experiência está localizado fora das grandes cidades, em áreas rurais. Porém, os estabelecimentos urbanos deverão reconsiderar em que medida poderão oferecer experiências semelhantes: talvez sob a forma de aulas de ioga ou sessões de meditação ou atividades de bem-estar afins.

Outros viajantes poderão albergar sentimentos de vingança: irão viajar de forma agressiva, procurando a diversão ao máximo, e tentando recuperar o tempo e as experiências que perderam durante o isolamento social.

Outro grupo será constituído pelos que foram fortemente afetados pelo vírus e que, como tal, irão ter um orçamento muito apertado.

Os hotéis precisam de analisar com muita atenção o que os viajantes pretendem visitar na sua região, o que procuram, e que serviços o hotel poderá oferecer. Os hotéis terão de adotar uma nova estratégia de marketing e de funcionamento no futuro.

Tenha em consideração o seguinte:

  • Novos requisitos de limpeza e higiene
    Os viajantes estarão naturalmente mais conscientes da sua saúde num futuro imediato, portanto, precisa de garantir que seu hotel está a seguir as melhores práticas nessa área.
  • Novas abordagens relativamente a espaços comuns (átrio, bar, restaurante, piscina, etc.)
    A aglomeração de pessoas deverá ser evitada a todo o custo, pois esta será uma das principais preocupações dos hóspedes. Novamente, será necessário garantir que tem tudo sob controlo.
  • Serviços sem necessidade de contacto: check-in, entrada no quarto, serviço de quarto, etc.
    Este tipo de pedidos já vinha adquirindo adeptos mesmo antes da pandemia, mas agora serão forçosamente uma necessidade. Não só poupará tempo e inconvenientes aos hóspedes, como lhes transmitirá uma sensação de segurança. Os hotéis deverão recorrer a aplicações específicas do setor para ajudar.
  • Aumento da procura por serviços e comodidades de bem-estar
    Os efeitos psicológicos de um acontecimento global desta escala não deverão ser subestimados. Os viajantes irão procurar restaurar corpo e alma, para se sentirem novamente saudáveis, purificados e normais. Muitos estarão ansiosos por escapar dos espaços onde estiveram confinados, para desfrutar de experiências mais calmas.
  • Aumento da procura de férias ativas/de aventura
    O ter ficado preso por semanas e meses a fio despertará o desejo de aventura, descoberta e novas experiências divertidas nalguns viajantes. Os hotéis deverão estudar que pacotes poderão oferecer a este grupo. É o momento perfeito para estabelecer contactos com empresas locais para aumentar a sua oferta.
  • Preocupações relativas a unidades de saúde locais
    O fim de todas as restrições não implica o fim do medo. Os hóspedes quererão certificar-se de que existem serviços de sa´ude locais nas proximidades do seu alojamento e que estes são de confiança, para assegurar a sua saúde, da família, de amigos e colegas.
  • Desaceleração e recuperação lenta das viagens de negócios
    Com a adoção em força do teletrabalho durante o período de confinamento, o volume de viagens de negócios ver-se-á limitado por algum tempo. A maioria dos setores não irá dar prioridade às viagens de trabalho a não ser quando absolutamente necessário. Conduzir os negócios virtualmente permitirá poupar dinheiro e garantir níveis mais elevados de segurança. Dito isto, é prudente estar preparado para viagens de negócios, para quando se começarem a remarcar conferências e eventos.

Basta pensar em turistas domésticos e nos hóspedes que recebeu no passado, e verá que muitas das suas preferências são semelhantes, apenas amplificadas.

Tradicionalmente os viajantes de lazer são:

Sensíveis aos preços
Em geral, procuram o melhor negócio para a sua estadia. As famílias, em especial, quererão rentabilizar ao máximo o seu orçamento. No rescaldo da pandemia isto será ainda mais importante. Vão querer esticar o seu orçamento até onde puderem e, ao mesmo tempo, estar perto de tudo o que perderam nos últimos tempos, tais como comodidades, restaurantes e atrações locais.

Sensíveis às avaliações
As avaliações sobre o seu estabelecimento poderão revestir-se de uma nova importância nesta nova realidade. Os potenciais hóspedes estarão mais do que nunca atentos a comentários sobre a limpeza do estabelecimento, às práticas de higiene e aos padrões sanitários dos funcionários. Com as práticas de higiene rigorosas a provarem a sua eficácia na redução do risco de contágio, os hóspedes não vão querer correr riscos.

Sedentos de pacotes promocionais
Os turistas estão sempre à procura de formas de ter uma melhor experiência e os pacotes são uma maneira fácil de obter complementos valiosos. O que irá atraí-los depois do coronavírus? Talvez possa ponderar oferecer experiências gastronómicas privadas, horários limitados para um uso exclusivo das comodidades, incluir o acesso a mais serviços, tais como serviço de quartos ou limpeza mais frequente.

Utilizadores de instalações
Piscinas, entretenimento de fim de dia e clubes para crianças para quem viaja com filhos serão mais apelativos para os turistas. Tendo em conta que a atual preocupação relativa a espaços públicos deverá perdurar, os turistas, provavelmente, terão todo o interesse em desfrutar dos espaços do hotel ao máximo, especialmente quem viaja com crianças ou idosos.

Para ter um hotel de sucesso, é importante perceber as necessidades e desejos dos seus hóspedes. Descobrir quais nesta nova era deverá ser a sua principal prioridade.

Compreender e direcionar a procura de viajantes locais para o seu hotel

A gestão da receita foi sempre importante, e cada vez mais nos últimos anos. É uma prática que tem vindo a evoluir constantemente e será forçada a continuar. Agora, os gestores de receita terão de se tornar gestores de dados e especialistas em análise, para ajudar o seu hotel a decidir para onde deverá direcionar a sua atenção. A intuição é valiosa, especialmente porque ninguém pode prever com precisão o que irá acontecer, mas os dados não mentem e deverão nortear a tomada de decisões.

É importante identificar que dados proporcionarão as melhores informações e a que ferramentas inteligentes poderá aceder para identificar sinais de recuperação na sua área. A monitorização da concorrência também será muito útil durante este período de mudança. Se por um lado é provável que as viagens domésticas registem números sem precedente histórico, os dados em tempo real serão fulcrais para acompanhar o que se está a passar no momento e permitir-lhe reagir em conformidade. Por conseguinte, a monitorização de dados deverá ser um processo sempre ativo.

Outro fator que aumentará a probabilidade de sucesso do seu hotel é eliminar as funções fixas estabelecidas no negócio. À semelhança de uma startup, terá de quebrar as barreiras que dividem o marketing, as vendas e a gestão de receita. Toda a gente deverá trabalhar em conjunto para pensar de forma criativa e procurar oportunidades para além do seu âmbito. Os viajantes serão confrontados com um grande volume de escolha, pelo que terá de se destacar.

Fatores a ter em mente:

  • As OTA/atacadistas continuarão a ser parceiros valiosos, pois continuam a oferecer um alcance sem paralelo e uma procura significativa será direcionada através destes canais durante o período de recuperação.
  • O surto da pandemia trouxe muitas lembranças desagradáveis de intermináveis filas e experiências de cliente destruídas devido a políticas de cancelamento e reembolso pouco claras. Portanto, este é, certamente, o momento de focar a sua atenção no seu canal direto. Uma vez que as reservas diretas não têm comissão, é importante captar o maior número dessas reservas lucrativas e começar a controlar a relação com os seus hóspedes.
  • Facilite a reserva com antecedência e pondere estabelecer tarifas flexíveis de que os hóspedes possam beneficiar.
  • Comece a fazer experiências com a metapesquisa, para conseguir máxima visibilidade no Google quando os viajantes começarem a pesquisar por hotéis.
  • Venda o seu destino e as suas vantagens, não se limite apenas ao seu hotel.
  • Crie várias ofertas adequadas tanto a viajantes de curtas como de longas estadias, e aborde as preocupações que irão pairar em relação à COVID-19.

Em relação ao público que, muito provavelmente, irá gerar procura, todos os os sinais apontam para os millenials.

Razões para viagens de estadias curtas: não ignore completamente o mercado empresarial

Há muitas razões para os viajantes optarem por curtas viagens domésticas. As escapadelas de fim de semana são muito populares, mas podem também ser viagens por motivos familiares ou médicos, ou ainda uma curta viagem de negócios.

Breves viagens de negócios são muito comuns e, embora este mercado se possa ver reduzido num futuro próximo, deverá mantê-lo sob o seu radar. A recuperação das viagens de negócios estará muito dependente do setor.

Tradicionalmente, as principais preocupações ligadas aos viajantes de negócios estiveram centradas em:

Localização
Idealmente, o viajante de negócios precisa de estar perto do local onde se realizará a sua conferência ou reunião ou perto do espaço que está a visitar. Não quer perder tempo em deslocações do hotel para o local do evento e vice-versa. Isto poderá ser ainda mais relevante se os viajantes de negócios começarem por adotar meios de transporte alternativos, devido aos elevados riscos e custos associados aos voos.

Ligação
Os viajantes de negócios querem permanecer ligados aos seus clientes e colegas durante a sua viagem de negócios e precisam de acesso constante a ficheiros e e-mails importantes. É indispensável ter uma conexão à Internet rápida e estável.

Programa de fidelização
Muitos viajantes de negócios irão ficar nos mesmos hotéis de cada vez que viajarem e ficarão satisfeitos se lhes oferecerem tarifas preferenciais e um padrão garantido de conforto e serviço. Estes padrões irão ser mais elevados no pós-coronavírus.

Comodidades
Os viajantes de negócios precisam de se preparar para trabalhar de manhã, de modo que comodidades como pequeno-almoço, máquina de café, ferro e tábua de engomar são essenciais para a rotina matinal. É igualmente importante que possam ter acesso a espaços de trabalho nos quartos ou noutro local no hotel, estacionamento, pacotes de deslocação que incluam táxis e outros. Garantir que isto é possível e ao mesmo tempo adaptar-se às preocupações decorrentes da COVID-19 será um desafio para os hotéis.

Tipos de viagens e férias domésticas

Para os hotéis identificarem potenciais mercados após a COVID-19, é útil entender os diversos tipos de viagens que se realizaram até agora e os que se irão realizar durante o período de recuperação económica.

Um dos que poderá vir a ter grande popularidade são as férias no próprio país: “vá para fora cá dentro”. Este tipo de férias caracteriza-se por viajantes que decidem fazer uma pausa do bulício para redescobrirem o seu país.
Estas viagens são rápidas, práticas e económicas. A necessidade de equilibrar responsabilidades profissionais e pessoais dificulta cada vez mais ao viajante comum fazer a viagem dos seus sonhos. Este é o motivo pelo qual uma viagem rápida ou mesmo um fim de semana na própria cidade pode constituir uma excelente alternativa para aqueles que têm o tempo contado.

A opção de viagens internacionais simplesmente não existe neste momento. Em alternativa, os viajantes podem fazer várias viagens mais curtas perto de casa como forma de desanuviar. Também é uma oportunidade de descobrir tesouros escondidos em locais mais pequenos, o que pode ser emocionante.

Considerações:

  • Este tipo de viajantes provavelmente será mais engenhoso no momento de encontrar melhores locais para comer, beber ou visitar no local. Não irão ao tipo de cafés que podem encontrar nas suas cidades de origem. Em vez disso, irão procurar a gastronomia local e eventos locais. É com estes tipos de estabelecimentos que os hotéis precisam de construir relações, para promover os seus hotéis.
  • Torne a sua promoção relevante. Promover constantemente o seu hotel com a mesma mensagem irá rapidamente fazê-lo parecer banal e os viajantes perderão o interesse. Em vez disso, irão procurar coisas para fazer e lugares aonde ir assim que chegarem ao seu hotel. Poderá proporcionar-lhes facilmente o que procuram com base na enorme quantidade de conteúdo pré-existente. Pesquise no jornal da região, websites de eventos e blogues regionais para ideias divertidas. Não só terá acesso a ótimo conteúdo para o seu website e feeds de redes sociais, como irá gerar interesse para a comunidade local.
  • Tire o máximo partido dos eventos e experiências locais: festivais e exposições itinerantes são uma oportunidade fantástica para ampliar os seus esforços de marketing doméstico. Pode assinalar pontos de interesse com fotografias dignas de Instagram. Pense também em criar pacotes especiais ou descontos relacionados, ou acrescente alguns extras que poderão diferenciá-lo da concorrência. Poderá também contactar operadores turísticos locais e empresas de atividades para ver se é possível criar pacotes em conjunto apelativos para o perfil demográfico do seu público.

No período que se seguirá à pandemia, as viagens domésticas irão regressar em força, ainda que de forma lenta, mas segura, e já se começa a observar uma série de outros tipos de viagens, tais como:

  • Viagens rodoviárias prolongadas
  • Escapadelas de fim de semana (casais, família, aventureiros)
  • Férias em família (férias de verão, viagens de família)
  • Férias sazonais (novas épocas altas, por ex., o outono em vez do verão nos EUA)
  • Aventuras individuais (aventuras, retiros, jornadas espirituais)
  • Luas de mel ou aniversários de casais
  • Conferências/reuniões
  • Eventos (exposições, comércio)
  • Viagens de vendas de viagens
  • Excursões organizadas

Precisa de planear cuidadosamente que grupos poderão vir para a sua área e delinear uma estratégia comercial adequada.

Principais tópicos

  • Embora, com toda a certeza, as grandes viagens sejam uma das últimas facetas da sociedade a regressar à normalidade na recuperação da pandemia do coronavírus de 2020, o turismo doméstico será, pelo contrário, uma das primeiras faces visíveis.
  • Os hotéis terão de ser criativos e flexíveis com as ofertas. O seu sucesso poderá depender da forma como criam um pacote de experiências dirigido a hóspedes que estiveram em quarentena e sob grande tensão no período anterior à sua viagem.
  • Muitos viajantes poderão estar à procura de pacotes de bem-estar e renovação espiritual depois de um período tão inquietante e incomparável nas suas vidas.
  • Outros viajantes poderão albergar sentimentos de vingança: irão viajar de forma agressiva, procurando a diversão ao máximo, e tentando recuperar o tempo e as experiências que perderam durante o isolamento social.
  • Os hoteleiros precisam de ter em conta as novas experiências, preocupações e preferências dos viajantes para garantir que o seu hotel é uma opção atrativa.
  • Será necessário uma distribuição robusta, estratégias de marketing e de preços para que o seu negócio volte a entrar nos eixos.
  • É importante perceber quais serão os diferentes grupos e tipos de viagens que estão a surgir.
  • Aprenda a dar resposta às necessidades do novo grupo demográfico de viajantes que irá viajar no pós-COVID-19.

Thanks for sharing

Sign up to our blog and receive regular updates on the content you're into

Send this to a friend